sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Street Fighter

Fonte: Reprodução
Capa do cartucho (mais ou menos o equivalente ao CD) do videogame do Street Fighter 2

O jogo trouxe controles inovadores. A primeira versão saiu em 1987, não fez muito sucesso. Mas, em 1991, chega o Setreet Fighter 2 e os videogames de luta jamais seriam os mesmos. Os criadores são Hiroshi Matsumoto, Takashi Nishiyama e Yoshiki Okamoto, da Capcon.
Lançado para fliperama, as famosas máquinas de jogos, chegavam a pegar fogo (às vezes, literalmente) de tanto serem usadas pelos maníacos por Ken, Ryu e companhia.

Depois de um tempo, as pessoas acabavam ficando tão boas que o lance era zerar (finalizar todas as fases) com outros personagens, ou então promover desafios contra outras pessoas, já que era possível, colocando-se na máquina duas fichas (isso mesmo, ficha, tipo de telefone – se você tem menos de 20 anos, pergunte pra seu pai o que é isto, ou então, aguarde novas publicações aqui no Lembra Tudo).

Quem não se lembra do nosso representante brasuca entre os personagens, o mostrão verde Blanka, que dava choques elétricos nos adversários?

Além disto, tinha um soviético. Isto mesmo, da U. R. S. S. (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) – que findou-se em 1991, após a queda do muro de Berlin.

Fonte: Reprodução
Não é preconceito não. Esta era a imagem inicial do jogo. Aparecia para você colocar a ficha

Os personagens são: Ryu (Japão), Ken (Estados Unidos da América), Honda (Japão), Chun Li (Japão), Blanka (Brasil), Zangief (U. R. S. S.), Guile (E. U. A.), Dhalsin (Índia), Balrog (E. U. A.), Vega (Espanha), Sagat (Tailândia) e Bison (Tailândia).

Os quatro últimos só passaram a ser “escolhíveis” (gíria da época), a partir de 1992, quando da versão 2’ (a gente chamava de dois linha, ou dois e meio, ou ainda dois apóstrofo, k, k, k, k).

No mesmo ano, lançaram o Super Street Fighter 2’. Com mais quatro personagens: T. Hawk (México), Dee Jay (Jamaica), Kami (Inglaterra) e Fei Long (Hong Kong) – inspirado no ator de cinema e mestre em artes marciais Bruce Lee. Aliás, o Balrog é inspirado no ex-boxeador Mike Tison.

Confiram aí trechos postados por fãs no YouTube de suas exibições no Street Fighter 2’ e no Super Street Fighter 2’.

Confrontos

Eram sempre melhores de três rounds. Havia barra de energia em que cada vez que você acertava o oponente ia se esgotando a “vida” dele. Era preciso passar por todos os personagens (12 nas versões 2 e 2’ e 16 na super). O engraçado, é que você enfrentava o próprio persongem – que aparecia em cores diferentes para você saber quem era quem.

A cada três lutas havia uma fase de bônus: destruir o carro em 30 segundos; destruir 20 barris de maderia que caiam sobre sua cabeça (sua do personagem, claro) em 30 segundos; e destruir 20 barris de lata empilhados e que soltavam fogo.

Confira confrontos do Street Fighter

Os dois primeiros vídeos são do personagem Ken no Street Fighter 2, mostra toda a sequência de vitórias até zerar (finalizar o jogo)

video

video
Fonte: A1Major/YouTube

Os próximos vídeos são sobre o Super Street Fighter. Também o carinha zerou, mas, desta vez, com nosso brasileiro Blanka

video


video
Fonte: adalbertofelipe/YouTube
Quem manja vai sacar que o cara às vezes precisa apelar para as 'moralzinhas' para derrotar o adversário, algo não muito divertido na época, mas que mostra que o cara sabia das manhas

Agora, saca só a evolução. O vídeo a seguir é da primeira versão do jogo

video

video
Fonte: grazzt519/YouTube

Veja todos os personagens do Super Street Fighter

Fonte: Blog BR

Da esquerda para a direita, de cima para baixo: Guile (E. U. A.), Vega (Espanha), Balrog (E. U. A.), Blanka (Brasil), Zangief (U. R. S. S.), Sagat (Tailândia), Ken (E. U. A.), Honda (Japão), Fei Long (Hong Kong), Sakura (Japão) – apareceu em versões seguintes –, Dhalsin (Índia), Kami (Inglaterra), Dee Jay (Jamaica), Chun Li (Japão), Akuma (Japão) – também de versões posteriores –, T. Hawk (México), M. Bison (Tailândia) e Ryu (Japão).

Nenhum comentário:

Postar um comentário